mpho-mojapelo-I84vGUYGUtQ-unsplash

Efeitos da doxepina para manutenção do tempo total de sono, qualidade e quantidade do sono, reduz despertares precoces, apresentando ainda segurança e boa tolerância.

A insônia é, inegavelmente uma das principais queixas nos consultórios médicos, quanto a quantidade e qualidade do sono sendo mais frequente em idosos maiores de 65 anos. Pode aparecer também em adultos e o desafio é como acabar com a insônia?

Surpreendentemente, acabar com a insônia é um desafio para indivíduos que procuram por tratamento médico afim de melhorar a manutenção do sono tanto de modo natural quanto farmacológico.

Entre as queixas frequentes estão, manutenção do sono durante o tempo total de sono, similarmente despertar entre períodos do sono como também acordar antes do horário previsto. No entanto as opções terapêuticas atuais são limitadas.

(Rojas-Fernandez; Chen, 2014; Roth et al., 2007)

A insônia pode ser influenciada por diferentes fatores 

Comumente já é conhecido que os distúrbios do sono podem não só aparecer sem uma causa específica como também estar associada a uma preocupação, cansaço, estresse, medo, insegurança ou até mesmo por alguma desordem fisiológica.

Alterações fisiológicas –  Entre as desordens fisiológicas estão, o processo de envelhecimento que leva a alterações nos níveis hormonais como por exemplo a redução dos índices de melatonina bem como também a inatividade da mesma.

Desordens de origem patológica – Outro fator que pode ser considerado importante no aparecimento da insônia são as desordens de origem patológica não apenas a depressão, mas também ansiedade e estresse.

(Rojas-Fernandez; Chen, 2014)

Prejuízos da insônia

Ademais a insônia por si só já é incômoda, mas também outras desvantagens podem aparecer, especialmente, na população idosa.

De tal forma que além da insônia (dificuldade de manutenção adequada do sono) bem como despertar antes do amanhecer.

A insônia ainda pode ter por consequência, prejuízos na memória, concentração, desempenho diurno nas tarefas ou trabalho ou ao conduzir máquinas. Além disso, pode também apresentar maior risco de quedas.

(Rojas-Fernandez; Chen, 2014)

Efeitos da doxepina para tratar insônia

Doxepina é um dos antidepressivo tricíclicos frequentemente prescritos para insônia. A doxepina é utilizada em baixas doses por ser um antagonista seletivo de receptores de histamina (H1 e H2).

No entanto, estudos demonstraram que a doxepina em doses baixas melhora o sono em adultos mais velhos com um perfil de segurança considerável em contrapartida seu uso não é indicado em altas doses devido a estimular efeitos anticolinérgicos.

(Krystal et al., 2010; Krystal et al., 2019)

Doxepina atua nos receptores de histamina

Decerto a histamina esta entre os principais neurotransmissores que afetam o estado de vigília. A doxepina atua primordialmente sobre a inibição de receptores H1 de histamina, e desse modo induz sonolência. Todavia o bloqueio dos receptores H1 induz sedação letargia e com efeito melhora o sono, por meio da redução da interrupção do sono.

(Krystal et al., 2010; Krystal et al., 2019)

Indicação e benefícios de doxepina para tratar a insônia

  • Melhora de distúrbios do sono primário em adultos e idosos
  • Reduz distúrbios da insônia primária crônica
  • Diminui despertares precoces
  • Efetivo na  terapêutica de distúrbios do comportamento
  • Efeito terapêutico também sobre desordens da ansiedade
(Almasi et al.,2020; Özkaya et al., 2019; Katwalaet al., 2013; Krystal et al., 2010; Krystal et al., 2019)

Um mesmo fármaco, diferentes efeitos

A escolha da terapêutica, principalmente, no público idoso necessita de cuidados também com os efeitos adversos e colaterais que tal fármaco pode apresentar.

Entretanto, a doxepina possui também propriedade anticolinérgicas e antinoradrenérgicas significativas. Todavia em baixas  doses (inferiores a 25 mg) apresenta alta seletividade pelos receptores H1.

Em contrapartida em doses acima de 25 mg a seletividade para os receptores H1 é perdida alcançando outros receptores, tendo por consequência efeitos, muscarínicos, colinérgicos e também noradrenérgicos.

(Rojas-Fernandez; Chen, 2014)

Possíveis reações adversas ao uso de doxepina

Com efeito doses ultrabaixo de doxepina (3 mg e 6 mg ao dia) exibiram potente e alta seleção para os receptor H1, mostrando-se não só segura e bem tolerada, como também com poucos ou até mesmo isenta dos efeitos antimuscarínicos.

Entre os sintomas apresentados estão

  • Sedação
  • Dor de cabeça
  • Sonolência
  • Boca seca
  • Hipotensão ortostática
  • Sudorese
  • Constipação
(Almasi et al.,2020; Özkaya et al., 2019; Katwala et al., 2013; Rojas-Fernandez; Chen, 2014)

Estudo

Eficácia e segurança no uso de baixas doses de doxepina (1mg, 3mg e 6mg) na terapêutica de distúrbios do sono para acabar com a insônia. De acordo com 67 adultos portadores de insônia primária, idade de 18 a 64 anos, direcionados para uma avaliação por 2 noites após uso de diferentes doses de doxepina 1, 3 e 6 mg ou placebo por 5 a 12 dias. No entanto os períodos de sono (primeiro, segundo e terceiro tempo do sono da noite) foram avaliados usando polissonografia (PSG).

 Doxepina pode tratar a insônia

  • Com efeito o uso de doxepina em baixas doses (1, 3 e 6mg) melhorou a manutenção e a duração do sono
  • As doses de doxepina 3 e 6mg mostraram melhores resultados na indução do sono de modo geral

Graf. 1- Tempo total, duração e qualidade do sono

doxepina melhora qualidade do sono

  • Com efeito doxepina mostrou significativos resultados, principalmente nas doses de 3 e 6mg comparado ao grupo placebo
  • O uso de doxepina mostrou-se seguro e bem tolerado, e também baixa incidência de efeitos adversos

Tab. 1- Melhora tempo total de sono doses de 3 e 6 mg de doxepina

doxepina 6 mg melhores resultados na insonia

(Roth et al., 2007)

Você precisa estar logado para ver este conteúdo.
Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.
Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

Na escrita do post acessamos algumas referências de literaturas que se encontram neste link Referências post.

Gostou desse artigo? Compartilhe nas suas redes sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp