Tinturas fitoterápicas

Fitoterapia com tinturas vegetais e seus diferentes efeitos terapêuticos.

Tinturas fitoterápicas são formas farmacêuticas oficinais que resultam da ação do álcool normalmente, por maceração ou lixiviação, sobre espécies medicinais e, mais raramente, insumos de origem animal e mineral. Para obtenção das tinturas utiliza-se 20% da planta e como solventes utilizam-se, solução hidroalcoólica, onde as concentrações usuais de água purificada e álcool são definidos de acordo com as especificações farmacopeicas de cada espécie. As tinturas podem ser administradas isoladas ou em associações, tendo como resultado efeito sinérgico.

(Santos et al., 2014; Brasil, 2011)

Características das tinturas fitoterápicas

Normalmente, possuem aspecto límpido, porém um pequeno sedimento pode se formar por deposição no fundo do recipiente aonde está armazenada e é aceitável desde que não haja modificação da composição. A tintura tem a ação solubilizante do álcool etílico ou da glicerina sobre o pó seco da droga (planta), podendo adicionar água em quantidade necessária para diminuir a concentração alcoólica. A graduação alcoólica da tintura varia de acordo com a solubilidade dos princípios ativos extraídos tem variação, todavia normalmente encontra-se entre 30º e 90º GL. As propriedades das espécies vegetais são utilizadas a fim de promover utilização terapêutica tendo por finalidade ser auxiliador no tratamento de diversas desordens do organismo.

(Santos et al., 2014; Brasil, 2011)

Tinturas fitoterápicas e diversas terapias

O preparo, armazenamento e identificação da tintura preparada deve ser adequados para manter as propriedades e sua ação terapêutica. O processo de preparação da tintura permite que extratos naturais sejam utilizados em diversas terapias. Posteriormente, devido a extração de ativos de partes da espécie vegetal utilizada esta é transferida para o conteúdo da tintura que então irá exercer seu papel no organismo, conforme as suas propriedades.

A princípio, pode ser utilizado na preparação da tintura um conteúdo seco ou mesmo partes frescas da espécie vegetal, porém anteriormente, devem ser picadas ou trituradas. Contudo, o preparo, armazenamento e identificação da tintura devem ser adequados para manter as propriedades e sua ação terapêutica. Todavia cada espécie possui diferentes propriedades e particularidades que a permitem exercer sua ação, conforme a patologia a ser tratada.

(Brasil, 2011)

Propriedades e ação terapêutica das tinturas vegetais

No entanto, existem variadas espécies e estas possuem variadas propriedades e com isso pode atuar com sobre os diferentes sistemas, gástrico, hepático, respiratório, cardiovascular, articulações, imune e até algumas condições do sistema nervoso central (SNC). Suas propriedades podem ser percebidas com ação calmante, na insonia e na redução de quadros de estresse, além disso ainda pode atuar na melhora de distúrbios e alterações digestivas promovendo alívio dos desconfortos abdominais e seus efeitos ainda podem ser estendidos sobre a atuação hormonal (menopausa e tensão pré-menstrual).

Diversas ações das tinturas fitoterápicas podem ser percebidas e ter por resultado efeito, imunoestimulante, anti-inflamatório, analgésico, além disso, também pode agir sobre desordens reumáticas, pode também com efeito atuar sobre o processo de cicatrização, fluidificação de secreções brônquicas e relaxamento da musculatura lisa das vias áreas, auxiliando na melhora das desordens pulmonares e respiratórias além de possuir a capacidade de atuar.

No entanto as tinturas fitoterápicas podem atuar com potencial ação sobre o sistema vascular, sendo também coadjuvante para fortalecimento do sistema imune e no tratamento de desordens do fígado e por cosequinte pode conduzir benefícios como ação antimicrobiana, cicatrização e anti-histamínicos.

(Kocaadam & Sanlier, 2015; Menghini, 2019; Ross, 2016; Santos et al., 2014; De Paula et al., 2015; Pastorino et al., 2018; Brito et al., 2007)
Indicação e benefícios tinturas fitoterápicas
  • Agem sobre doenças reumáticas, possuindo ação anestésica e anti-inflamatória;
  • Contribuem para melhora da cicatrização;
  • Possuem ação calmante;
  • Estímulo do sistema imune, proporcionando imunomodulação;
  • Proporcionam fluidificação das secreções brônquicas e relaxamento da musculatura lisa das vias áreas, ajudando na melhora das desordens pulmonares;
  • Possuem potencial ação sobre o sistema vascular, propiciando prevenção e tratamento de desordens deste sistema;
  • Auxiliam no fortalecimento do sistema imune e no tratamento de desordens do fígado;
  • Conduz benefícios na ação antimicrobiana, cicatrização e anti-histamínicos.
(Ross, 2016; Santos et al., 2014; De Paula et al., 2015; Pastorino et al., 2018; Brito et al., 2007)
Faça o download do arquivo no link abaixo e saiba mais sobre o assunto.

Você precisa estar logado para ver este conteúdo.
Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.
Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referencias

Brito, F. A., Lima, L. A., Ramos, M. F. S., Nakamura, M. J., Cavalher-Machado, S. C., Siani, A. C., Sampaio, A. L. F. (2007). Pharmacological study of anti-allergic activity of Syzygium cumini (L.) Skeels. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, 40(1), 105-15.

De Paula, L. C. L., Fonseca, F., Perazzo, F., Cruz, F. M., Cubero, D., Trufelli, D. C., … del Giglio, A. (2015). Uncaria tomentosa (Cat’s Claw) Improves Quality of Life in Patients with Advanced Solid Tumors. The Journal of Alternative and Complementary Medicine, 21(1), 22–30.

Formulário de Fitoterápicos da Farmacopéia Brasileira. 1ª edição, Anvisa, 2011.

Kocaadam, B., & Şanlier, N. (2015). Curcumin, an active component of turmeric (Curcuma longa), and its effects on health. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 57(13), 2889-95.

Menghini, L., Recinella, L., Leone, S., Chiavaroli, A., Cicala, C., Brunetti, L., … Ferrante, C. (2019). Devil’s claw (Harpagophytum procumbens) and chronic inflammatory diseases: A concise overview on preclinical and clinical data. Phytotherapy Research.

Pastorino, G., Cornara, L., Soares, S., Rodrigues, F., & Oliveira, M. B. P. P. (2018). Liquorice (Glycyrrhiza glabra): A phytochemical and pharmacological review. Phytotherapy Research.

Ross, S. M. (2016). Echinacea purpurea: A Proprietary Extract of Echinacea purpurea Is Shown to be Safe and Effective in the Prevention of the Common Cold.  Holistic Nursing Practice, 30(1), 54–57.

SANTOS, C.B et al., Preparo e caracterização de tinturas das folhas de chá verde [Camellia sinensis (L.) O. Kuntze] Theaceae. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, 16(4), 826-31, 2014.

Veja outros artigos

Telemedicina
Médicos

Telemedicina

Conforme o cenário atual, no enfrentamento da infecção por Covid-19, a telemedicina torna-se uma ferramenta primordial para a assistência médica ainda que por intermédio de

Deixe um comentário