Arquivo para especies reativas de oxigenio - Farmácia Artesanal Inovação
580
archive,tag,tag-especies-reativas-de-oxigenio,tag-580,qode-quick-links-1.0,translatepress-pt_BR,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Diferentes fitoterápicos com potencial ação para tratar a dislipidemia A dislipidemia pode ser definida como a elevação dos níveis séricos do colesterol, triglicérides, LDL, enquanto os níveis de HDL permanecem baixos....

Proteção celular e mitocondrial e coadjuvante na prevenção da doença de Alzheimer A pirroloquinolina quinona (PQQ) está presente em plantas e células animais, e em muitos alimentos e fluidos biológicos. O...

Desenvolvido pela Nexira health, Oli-OlaTM é um extrato padronizado do fruto da oliveira, com 3% de hidroxitirosol, um polifenol com potente ação antioxidante. Segundo estudos, Oli-OlaTM é capaz de promover efeito peeling na pele, como os peelings químicos.Resultados impressionantes no tratamento de melasma. Oli-Ola é capaz de agir na pele potencializando os tratamentos com aparelhos, cosméticos e peelings

O tratamento de câncer está associado a efeitos colaterais a longo e curto prazo. O câncer produz um estado de deficiência de glutamina, que é ainda agravado pelos efeitos tóxicos dos agentes quimioterapêuticos, que conduzem a um aumento da tolerância do tumor a quimioterapia, bem como reduz a tolerância aos seus efeitos secundários. A suplementação com glutamina tem mostrado exercer uma proteção contra a mucosite, induzida pela radiação, contra a cardiotoxicidade induzida por antraciclina, e mialgia/artralgia relacionada ao tratamento com Paclitaxel. A glutamina pode prevenir a neurotoxicidade causada pelo Paclitaxel, cisplatina, oxaplatina bortezomibe e lenolidamida, e é benéfica na redução dos efeitos tóxicos gastrointestinais da dose-limitante de irinotecano (GAURAV, et al., 2012).

A fibromialgia (FM) é uma Síndrome de dor crônica que afeta até 5% da população mundial. Clinicamente é caracterizada pela presença de dor difusa e pontos de hipersensibilidade, detectados por exame físico, e geralmente é acompanhado por fadiga, sono e transtornos de humor. O tratamento da FM inclui terapia não farmacológica e farmacológica. Muitos pacientes respondem bem ao exercício físico, e até 50% dos casos respondem adequadamente ao tratamento com antidepressivos tricíclicos, tal como baixas doses de amitriptilina. Vários outros fármacos utilizados em estudos controle têm mostrado aliviar os sintomas da FM, incluindo fluoxetina, duloxetina, milnacipran, ciclobenzaprina, gabapentina, pregabalina e tramadol. Estudos recentes mostram que a medicina alternativa, com Panax ginseng, tem mostrado uma alternativa para o tratamento da doença (BRAZ, et al, 2013).