S-Equol para tratar alopecia

Eficácia no tratamento da alopecia por impedir a interação do DHT com o receptor de andrógeno, extensão da fase anágena e atividade antioxidante

O S-Equol é eficaz na redução da interação da 5 alfa -Di-hidrotestosterona forma ativa da testosterona, que interage com o folículo piloso, atuando no desenvolvimento da alopecia, assim, o S-Equol reduz a interação do DHT com o receptor de androgéno.  O equol é um flavonoide, possui entre suas propriedades efeito antioxidante, consegue atuar no tratamento da alopecia.

(Lephart, 2016)

O equol é um produto metabolizado a partir da daidzeína que está presente na soja, sendo no interior do intestino metabolizada pelas bactérias de cepas especificas, resultando no equol.

(Lephart, 2016; Mayo et al., 2019; Brotzu et al., 2018; Mayo et al., 2019)

É um composto quiral que possui dois enantiômeros (R e S), sendo uma imagem espelhada uma molécula da outra (figura 1). A molécula de equol e 17 beta-estradiol (estrogênio) possui semelhança na estrutura e no peso molecular, permitindo assim, interação do equol com o receptor de estrógeno β.

(Setechel et al., 2005; Barnes et al., 2010; Brotzu et al., 2018; Mayo et al., 2019; Wang et al., 2017)

Figura 1- Estrutura molecular da molécula equol (A) e 17 beta-estradiol (B)

Equol e estradiol
Fonte: Lephart, 2016

O S-Equol liga-se ao receptor estrogênico beta (β) presente nos queratinácitos e fibroblastos. Outra interação do S-equol é com a 5 alfa-di-hidrotestosterona, modulando a atividade androgênica e assim, consegue auxiliar na prevenção e tratamento da queda de cabelo.

A afinidade de S-Equol pelos receptores estrogênicos beta (ER-β) e estes são predominantes na pele, além destes ainda tem-se presente no tecido cutâneo os receptores de andrógenos (AR) que pode levar a prejuízos ao tecido cutâneo e desenvolvimento da alopecia.

(Lephart, 2016; Setechell, 2004; Brotzu et al., 2018; Mayo et al., 2019)

 

Interação do S-Equol nos mecanismos da alopecia

A interação do S-Equol com a 5 α-di-hidrotestosterona (5α-DHT) promove inibição da 5α-redutase e assim, impede a transformação da testosterona em di-hidrotestosterona. A interação do equol com DHT e/ou di-hidrotestosterona reduz a ligação do andrógeno ao seu receptor.

(Brotzu et al., 2018; Lephart, 2016; Setechell, 2004; Miyanaga et al., 2003)

A ação antiandrogênica do equol, permite que o DHT seja ligado ao equol e assim, impede que a molécula de DHT ligue-se ao receptor de andrógeno (AR), tornando-o inerte. O equol liga-se com alta afinidade ao (5α-DHT), impedindo que o DHT ligue-se aos folículos pilosos e assim, torna o folículo menos sensível a ação do DHT, reduzindo a perda de cabelo (alopecia androgênica).

(Lund et al., 2004; Brotzu et al., 2018; Miyanaga et al., 2003)

Figura 2- Esquemático relação do S-Equol com a alopecia

Equol e alopecia

Benefícios do uso de S-Equol

No entanto, a interação do S-Equol com o receptor de estrógeno β permite reduzir a expressão de receptores de andrógenos e a ação dos andrógenos no folículo piloso. Além de promover efeito antioxidante e anti-inflamatório, o que beneficia diversos tipos de alopecia e ainda consegue estimular o desenvolvimento da fase anágena do ciclo capilar, propiciando intervenção na alopecia por diferentes mecanismos.

(Lephart, 2016)

O estímulo da expressão de enzimas de origem antioxidante glutationa peroxidase 1 (GPX-1) e superóxido dismutase 2 (SOD-2) é desenvolvido pelo S-Equol, além de ainda aumentar a atividade mitocondrial, e assim auxiliar na prevenção e tratamento da alopecia por diferentes mecanismos de ação, permitindo nutrição ao tecido capilar de modo global.

(Lund et al., 2004; Brotzu et al., 2018; Mayo et al., 2019)

Nos diversos benefícios ao uso de S-Equol é possível perceber, elevado efeito antioxidante, maior expressão de fatores de crescimento, fotoproteção, melhora da integridade celular, alto potencial anti-inflamatório, além de ainda elevar a expressão de enzimas antioxidantes e ainda permite uma elevada biodisponibilidade da substancia no organismo,devido a uma liberação sustentada após a aplicação tópica.

(Lephart, 2016)

Indicação e benefícios

• Trata alopecia androgênica;
• Previne a perda de fios;
• Prolonga a fase anágena;
• Potente efeito antioxidante;
• Melhora  desordens do couro cabeludo;
• Reduz a fase telógena;
• Nutrição global ao tecido capilar;
• Desenvolve força e volume aos fios;
• Eficaz no tratamento da perda de cabelo.

(Brotzu et al., 2018; Lund et al., 2004; Brotzu et al., 2018; Mahalingam et al., 2016; Miyanaga et al., 2003; Wang et al., 2017)

Reações adversas

Queimação ao início da aplicação, sendo aliviado após alguns minutos.

(Brotzu et al., 2018)

Estudo

Um estudo prospectivo foi conduzido com 60 pacientes portadores de alopecia androgênica, sendo 30 homens e 30 mulheres com idade média de 56 anos. Os indivíduos fizeram uso de uma loção contendo, equol, ácido dihomo-γ-linolênico (ômega 6) e propionil-L- carnitina. O objetivo foi avaliar a eficácia do produto no estimulo do crescimento de novos fios e melhora do quadro da alopecia.

Os resultados apontam mudanças no número total de fios, na fase anágena e telógena por área, resistência à tração dos fios, o diâmetro dos cabelos, avaliou-se ainda a presença de caspa, seborreia e eritema no couro cabeludo. As avaliações se deram por meio de respostas obtidas por um questionário. As avaliações foram feitas no T1, T3 e T6. Os resultados foram observados em 1,3 e 6 meses de tratamento com a loção.

Resultados

  • O uso da loção foi efetiva na redução da perda de cabelo, estimulando o crescimento de novos fios e ainda;
  • Aos 6 meses de tratamento 63,3% dos pacientes apresentaram aumento no número total de fios, o crescimento foi de 1,6% em 6 meses comparado ao controle;
  • 89,7% dos indivíduos tiveram resultados satisfatórios com o tratamento após 6 meses;
  • Nas mulheres houve aumento no número de fio na fase anágena e significativa redução nos fios da fase telógena no primeiro mês de uso;
  • O eritema foi diminuído nas mulheres tratadas com a loção quando comparado ao controle;
  • Os resultados apontam que o uso da loção foi seguro e eficaz na prevenção e diminuição da perda de cabelo em homens e em mulheres de origem androgênica.
(Brotzu et al., 2018)

Figura 3- Resultados antes (a e c) e após (b e d) 6 meses de uso da loção

Estudo equol e resultados na alopecia

Fonte: Brotzu et al., 2018

Gráfico 1 – Escala de satisfação subjetiva dos indivíduos avaliados quando em uso da loção e seus resultados

resultados de equol na alopecia

Fonte: Brotzu et al., 2018

Legenda

Hair loss reduction: redução da perda capilar
Hair thickness: espessura do fio de cabelo
Hair strength: força capilar
Hair volume: volume do cabelo
Scalp improvement: Melhora da saúde do couro cabeludo
Hair health: saúde dos fios
Lotion absorption: absorção da loção
Lotion fragrance: fragrância da loção
Overall assessment: Avaliação completa do tratamento

Faça o download do arquivo no link abaixo e saiba mais sobre o assunto.

Você precisa estar logado para ver este conteúdo.
Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.
Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

Barnes, Stephen. (2010). The Biochemistry, Chemistry and Physiology of the Isoflavones in Soybeans and their Food Products. Lymphatic research and biology, 8(1), 2010.
Brotzu, G., Fadda, A. M., Manca, M. L., Manca, T., Marongiu, F., Campisi, M., & Consolaro, F. (2018). A liposome-based formulation containing equol, dihomo-γ-linolenic acid (DGLA), and propionyl-L-carnitine to prevent and treat hair loss: a prospective investigation. Dermatologic Therapy, e12778.
Gopaul, R., Knaggs, H. E., & Lephart, E. D. (2012). Biochemical investigation and gene analysis of equol: A plant and soy-derived isoflavonoid with antiaging and antioxidant properties with potential human skin applications. BioFactors, 38(1), 44-52.
Lepart, E D., Lund, T D., Setchell, K D R., Handa, R J. Use of equol for treating skin diseases.
Lephart, E. D. (2016). Skin aging and oxidative stress: Equol’s anti-aging effects via biochemical and molecular mechanisms. Ageing Research Reviews, 31, 36-54.
Mahalingam, S., Gao, L., Gonnering, M., Helferich, W., & Flaws, J. A. (2016). Equol inhibits growth, induces atresia, and inhibits steroidogenesis of mouse antral follicles in vitro. Toxicology and applied pharmacology, 295, 47–55.
Mayo, B., Vazquez, L., Florez, A B. (2019). Equol: A Bacterial Metabolite from The daidzein isoflavone and its presumed beneficial health effects. Nutrients 2019, 11, 2231.
Miyanaga, N., Akaza H, Takashima N, Nagata Y, Sonoda T, Mori M, Naito S, Hirao Y, Tsukamoto T, Fujioka T. (2003). Higher consumption of green tea may enhance equol production. Asian Pac J Cancer Prev. 4(4), 297-01.
Setchell, K. D., Clerici, C., Lephart, E. D., Cole, S. J., Heenan, C., Castellani, D., Heubi, J. E. (2005). S-Equol, a potent ligand for estrogen receptor β, is the exclusive enantiomeric form of the soy isoflavone metabolite produced by human intestinal bacterial flora. The American Journal of Clinical Nutrition, 81(5), 1072-79.
Wang, J., Li, L., Yin, Y., Gu, Z., Chai, R., Wang, Y., & Sun, G. (2017). Equol, a Clinically Important Metabolite, Inhibits the Development and Pathogenicity of Magnaporthe oryzae, the Causal Agent of Rice Blast Disease. Molecules, 22(10), 1799.

Veja outros artigos

Telemedicina
Médicos

Telemedicina

Conforme o cenário atual, no enfrentamento da infecção por Covid-19, a telemedicina torna-se uma ferramenta primordial para a assistência médica ainda que por intermédio de

Deixe um comentário