Pigmerise

Pigmerise é um fitocomplexo natural, derivado de pimenta preta (Piper nigrum L.), também conhecida como pimenta do reino.

Pigmerise é um fitocomplexo natural, em óleo resina, padronizado com alta concentração de alcaloides e óleos voláteis, representa um grande avanço sobre os atuais tratamentos de primeira escolha para vitiligo, como psoralenos e quelinas.

A piperina é o principal alcaloide encontrado na fruta de Piper nigrum L e é capaz de estimular a replicação de melanócitos e induz a formação de dendritos melanocítico in vitro.

 (SOUMYANATH et al., 2006; FAAS et al., 2008; MISHRA et al., 2011; NEEL et al., 2014)

Piperine

Fonte: SOUMYANATH et al., 2006.

Os melanócitos são células dendríticas produtoras de pigmentos localizados dentro da camada basal da epiderme e na matriz dos folículos pilosos. A melanina é sintetizada no interior de organelas chamadas melanossomas, que são transferidos através de dendritos melanocíticos epidérmico de queratinócitos, resultando na pigmentação da pele de mamíferos.

Os efeitos estimulantes da piperina sobre a proliferação destes melanócitos e os dendritos a tornou um potencial tratamento para vitiligo

(SOUMYANATH et al., 2006 FAAS et al., 2008)

,A radiação UVA (320-400 nm) atualmente é a opção utilizada para o tratamento de vitiligo, em conjunto com psoralenos, que formam foto moléculas monofuncionais e bifuncionais com o DNA celular após a exposição aos raios UVA.

Dessa forma, este processo estimula a replicação de melanócitos e melanogênese. Ao contrário de psoralenos, a piperina é capaz de induzir a proliferação in vitro de melanócitos mesmo na ausência de radiação UV, possivelmente por um mecanismo que envolve a estimulação de proteína quinase C.

(MISHRA et al., 2011)

Recentes evidencias sugerem que a ingestão de extrato frutífero da Piper nigrum ou de seu principal alcaloide, a piperina, é capaz de estimular em quase 300% a proliferação de melanócitos em células de ratos depois de 8 dia de tratamento in vitro. Estes são capazes de aumentar o número e o tamanho das células dendríticas.

(FAAS et al., 2008)

Mecanismo de ação

Pigmerise estimula a proliferação de melanócitos, além de proteger o DNA celular, e, por isso, não desencadeia o risco de desenvolvimento de melanoma. Pigmerise™, também, promove aumento da pigmentação cutânea, com ou sem fototerapia.

Indicação e benefícios

    • Terapia para tratar vitiligo;
    • Hipopigmentação causada por luz pulsada intensa;
    • Hipomelanose iatrogênica;
    • Proteção contra a oxidação induzida pela radiação ultravioleta;
    • Protege contra melanoma;
    • Hipomelanose gutata idiopática (sardas brancas);
    • Ptiríase versicolor.

Estudo I

Estudo realizado por Vinod e colaboradores (2010) em ratos conclui que a piperina sendo utilizada em creme de uso tópico Pigmerise  é eficaz na repigmentação. A exposição à radiação acelera o processo de repigmentação, porém de forma mais irregular.

(Vinod et al. ,2010)

Estudo II

Estudo conduzido por Menchini e colaboradores (2010), na Itália, por período de 6 meses, com 75 pacientes de 18 à 53 anos, afetados por vitiligo com extensões variáveis entre 5% e 35% da superfície total da pele. A avaliação considerou 2 grupos de pacientes:

    1. Grupo A (32 pacientes): Receberam creme com piperina + 3 sessões semanais (UVB 311nm) de fototerapia.
    2. Grupo B (43 pacientes): Receberam somente creme com piperina.

Resultados

    • No grupo A, 80% dos pacientes tiveram de 76% a 100% de repigmentação. Cerca de 50 % dos pacientes do grupo A tiveram sinais de repigmentação a partir do primeiro mês de tratamento.
    • No grupo B, 52,4% dos pacientes tiveram de 76% a 100% de repigmentação, enquanto no grupo B este percentual foi alcançado entre o segundo e terceiro mês de terapia.
    • Apenas um paciente, pertencente ao grupo B, apresentou repigmentação menor do que 25%. O percentual de repigmentação obtido permaneceu estável mesmo depois de 3 e 6 meses após o final do protocolo.

vitiligo

Fonte: Menchini et al., 2010.

Você precisa estar logado para ver este conteúdo. Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico. Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

Na escrita do post fizemos o uso de algumas referências de literaturas que se encontram neste link Referências post

Gostou desse artigo? Compartilhe nas suas redes sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp