Tratamento da queda de cabelo

Novos ativos para o tratamento da queda de cabelo em homens e mulheres

A perda de cabelo tem impacto direto na autoestima e qualidade de vida tanto em homens quanto em mulher. Novos ativos para tratamento da queda de cabelo são necessários, uma vez que os motivos que levam a essa perda podem variar desde seborreia e envelhecimento até particularidades genéticas relacionadas ao metabolismo androgênico (FISHER et al.,2012).

Em homens, o principal fator genético que contribui para a queda de cabelo é a elevada atividade da 5-alfa redutase do tipo II. Esta é a enzima que transforma a testosterona em di-hidrotestosterona (DHT). Já em mulheres, a perda pode ser causada pela diminuição da aromatase, que converte testosterona em 17-beta-estradiol.

Tanto o aumento da alfa-redutase quanto a diminuição da aromatase levam a um aumento de concentração de DHT. Este consequentemente se liga a seus receptores, que estão altamente expressos no folículo piloso, resultando em uma redução da fase anágena e uma maior fase telógena, seguida de uma miniaturização progressiva do folículo piloso (FISHER et al.,2012; VUJOVIC & MARMOL,2014).

Possíveis causas da queda

Outros motivos podem estar relacionados com o envelhecimento, com a radiação ultravioleta e poluentes ambientais, que levam à formação de radicais livres e que não são mais suficientemente eliminados por mecanismos de defesa das células. Estes fatores resultam em danos para os folículos pilosos (GRUPTA & MYROSE, 2016).

Dois medicamentos são frequentemente utilizados no tratamento de alopecia androgenética (AGA), o Finasteride de uso oral e minoxidil uso tópico. No entanto, ambos possuem atividades limitadas e podem causar efeitos adversos levando a interrupção do tratamento.

Por isso, tratamentos alternativos vêm sendo cada vez mais pesquisados, como forma de minimizar efeitos adversos e consequente abandono de tratamento e também potencializar os resultados na terapêutica (ROSSI et al., 2012).

Dentro destas pesquisas de tratamento alternativos para a queda de cabelo, se encontra em estudo a utilização da melatonina.

A melatonina é um hormônio, produzido principalmente pela glândula pineal com propriedades antioxidantes, sendo estes um dos motivos pelo qual ela pode ser considerada para o tratamento de perda capilar, pois é capaz de neutralizar o estresse oxidativo associado a perda de cabelo geral, bem como na AGA (FISHER et al., 2004; KOBAYASHI et al., 2005).

Melatonina

 

Estrutura molécula melatonina

Estrutura molécula melatonina

A melatonina é um hormônio, produzido principalmente pela glândula pineal com propriedades antioxidantes, sendo estes um dos motivos pelo qual ela pode ser considerada para o tratamento de perda capilar, pois é capaz de neutralizar o estresse oxidativo associado a perda de cabelo geral, bem como na AGA (FISHER et al., 2004; KOBAYASHI et al., 2005).

Indicação e benefícios

    • Ação antioxidante;
    • Neutralização do estresse oxidativo;
    • Aumento da proliferação e diferenciação celular nos folículos pilosos;
    • Influencia no desenvolvimento e crescimento capilar;
    • Atividade sobre os ciclos do crescimento capilar;
    • Protege de danos oxidativos estruturas intracelulares importantes;
    • Regula a atividade de enzimas antioxidantes endógenas.

Mecanismo de ação

Estudos vem demonstrando que todo o corpo humano possui receptores de melatonina funcionais, incluindo queratinócitos, melanócitos, e fibroblastos, e que esses receptores estão envolvidos em diversos efeitos no organismo, bem como proliferação e diferenciação celular (KOBAYASHI et al., 2005; FISCHER et al., 2012).

O sistema antioxidante melatoninérgico tem sido identificada na pele, que protege contra os danos causados por raios ultravioleta (UV).  Como a pele humana, os folículos do cabelo vêm demonstrando serem capazes de sintetizar e expressar receptores de melatonina, causando influência sobre os ciclos de crescimento capilar (KOBAYASHI et al., 2005; FISCHER et al.,2012).

A melatonina é uma substância altamente lipofílica que penetra facilmente membranas orgânicas e, portanto, é capaz de proteger as estruturas intracelulares importantes, incluindo mitocôndrias e DNA dos danos oxidativos diretamente nos locais onde ocorra qualquer dano.

Curiosamente, a melatonina também regula a expressão de genes e a atividade de várias enzimas antioxidantes tais como Cu / Zn-superóxido-dismutase (CuZn-SOD), Mn-superóxido-dismutase (Mn-SOD), catalase e glutationa peroxidase (GPx).

Deste modo, a melatonina não só atua como um potente antioxidante em si, mas também é capaz de ativar um sistema de proteção enzimática endógena contra o stress oxidativo (FISCHER et al.,2012).

Estudos

    • Estudo I

Um estudo, utilizando folículos capilares humanas cultivadas in vitro e em um meio de cultura colocou melatonina em uma concentração de 30 uM e em outro nada foi adicionado. Resultado: como resultado, houve uma taxa significativamente mais rápida do crescimento folicular de cabelo, em comparação ao meio de cultura sem a adição de melatonina (KOBAYASHI et al., 2005).

    • Estudo II

Estudo duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, foi realizado por FISCHER e colaboradores (2000), 40 mulheres com alopecia difusa ou alopecia androgênica (AGA).

Um grupo recebeu 0,1% de melatonina e o outro uma solução de placebo no couro cabeludo uma vez por dia durante 6 meses. Avaliou-se a taxa das fases anágena e telógena do cabelo, foi realizado um exame de tricograma (exame especializado para o estudo e diagnóstico dos casos de alopecia). Amostras de sangue foram coletadas ao longo do estudo para monitorar os efeitos do tratamento sobre níveis fisiológicos da melatonina.

Resultados

    • Com a melatonina teve-se aumento significativo da fase anágena na região occipital da cabeça, comparado com placebo em mulheres com alopecia androgênica (n = 12);
    • Na região frontal, a melatonina aumentou significativamente a fase anágena no grupo com alopecia difusa (n = 28);
    • A região occipital de pacientes com alopecia difusa e a frontal de pessoas com alopecia androgênica também mostrou um aumento da fase anágena do cabelo, mas as diferenças não foram significativas;
    • O nível sérico de melatonina aumentou durante o tratamento, mas não ultrapassou o pico fisiológicos da noite.

 

Capilia Longa®

Capilia Longa® é a primeira geração de peptídeos de plantas, desenvolvido através de um processo capaz de identificar, produzir e concentrar os fitopeptídeos otimizados do secretome, que constitui a totalidade de moléculas secretadas pelas células totipotentes, do rizoma da Curcuma longa.

Devido à presença dos peptídeos sinalizadores obtidos da Curcuma longa e um blend de nutrientes, a Capilia Longa® reativa o crescimento e reduz a queda reiniciando e nutrindo o folículo capilar. Nutrientes da Capilia longa

Indicação e Benefícios

    • Produto natural, saudável e sustentável
    • Promove crescimento de novos fios;
    • Recuperação e nutrição do bulbo capilar;
    • Aumenta o volume do cabelo;
    • Redução da queda capilar;
    • Combate e prevenção da calvície;
    • Pode ser utilizado por homens e mulheres.

Mecanismos de ação

A Capilia longa® age em três fatores chaves para o crescimento do cabelo:

    • Com relação ao mRNA promove diferenciação celular durante o crescimento capilar, síntese de queratina estrutural e modula a vascularização folicular. Aumenta a expressão de fatores epigenéticos relacionados à fase anágena;
    • Reduz a expressão de fatores epigenéticos relacionados à fase catágena;
    • Estimula o Fator de crescimento IGF-1, responsável por manter o fio capilar na fase anágena e o desenvolvimento do folículo capilar, por meio deste é afetado a proliferação folicular, remodelação de tecidos e o ciclo de crescimento capilar, bem como a diferenciação folicular (LI et al., 2014);
    • Nutrição do bulbo capilar, promovendo energia para o crescimento e fortalecimento do fio capilar na fase anágena.

Estudos

    • Estudo I

Estudos in vitro avaliaram capacidade de proliferação celular, o aumento de IGF-1 e miRNAs em fibroblastos da papila dérmica com o uso de Capilia longa®, comparado ao minoxidil.

Resultados

    • Capilia Longa® promove aumento da proliferação celular na papila dérmica em até 177% demonstrando efeito assim como o Minoxidil.
    • Estimula a síntese de IGF-1 na papila dérmica em até 115% enquanto que o Minoxidil estimula em 36% em 24horas.
    • Capilia Longa® estimula a expressão de miRNA-31 e reduz a expressão de miRNA-22 demonstrando efeito na prevenção do início da fase catágena, diferenciação celular durante crescimento capilar, estímulo das células tronco folicular, síntese de queratina estrutural e modulação da vascularização folicular.

 

Gráfico estudo I  Gráfico estudo IA

Gráfico estudo IB

    • Estudo II

Estudo realizado em 40 voluntários caucasianos com idade de 18 e 60 anos de idade, apreentando queda capilar por diferentes etiologias. A porção masculina apresentava alopecia de grau II a IV pela escala Hamilton e a feminina grau I e II pela escala Ludwig.

Os voluntários foram avaliados com aplicação diária de Capilia Longa® 1% em relação ao placebo durante 45, 90 e 150 dias, sem mudança do estilo do cabelo e coloração durante o tempo de análise. Resultados

    • Após a aplicação de Capilia Longa® 1%, após 150 dias observou-se:
    • 89% de redução da queda capilar;
    • 52% de aumento da densidade capilar;
    • Mais 13.500 novos fios;
    • 85% dos voluntários observaram formação de novos fios capilares;
    • 95% dos voluntários observaram redução da queda capilar.

  Tratamento estudo II Tratamento da queda de cabelo Tratamento estudo IIA Tratamento da queda de cabelo

Imagens obtidas através do equipamento ThichoScan®

Sfíngoni

Sfíngoni é um esfingolipídio desenvolvido através de um processo de biotecnologia patenteada que inibi a enzima 5-α-redutase, diminuindo significativamente os níveis de di-hidrotestosterona DHT no folículo piloso, prevenindo a queda capilar.

Mecanismos de ação

Sfíngoni inibidor da 5-alfa-redutase e gradualmente diminui os níveis de DHT circulante no couro cabeludo, indicando sua utilização na prevenção e redução da alopecia androgenética.

Indicação e benefícios

    • Previne a queda de cabelo prolongando a fase anágena;
    • Tratar a perda capilar masculina;
    • Tratar alopecia androgênica (AGA);
    • Reequilibra o ciclo de vida do cabelo;
    • Melhora a saúde geral do couro cabeludo;
    • Proporciona melhor estruturação para o crescimento capilar;
    • Melhora a qualidade do cabelo;
    • Ação antimicrobiana, eficiente na redução do Malassezia furfur;
    • Contribui para o controle da caspa;
    • Reduz a oleosidade;

 

Estudos

    • Estudo I

Ação efetiva na inibição da 5-α-redutase, que converte a testosterona em DHT, sendo esta última a responsável pelo afinamento dos cabelos, pela miniaturização dos folículos capilares e estimulação da produção de sebo na glândula sebácea comparado ao uso Finasterida via oral.

Resultado

Sfíngoni conseguiu inibir a 5-α-redutase assim como o medicamento via oral Finasterida, proporcionando, com efetividade, prevenção da queda, equilíbrio do ciclo capilar e redução da oleosidade do couro cabeludo. Gráfico estudo Sfingone

    • Estudo II

Realizou-se um estudo in vitro para avaliar a capacidade do Sfíngoni em combater o fungo Malassezia furfur, cultivou-se o fungo em ágar e em seguida foi dividido em três placas.

A uma foi aplicada uma solução de 1% de Sfíngoni e em outra uma substancia conservante (Sensiva SC 50: Ethylhexylglycerin) e a última sem nenhum inibidor de crescimento.

Resultado

A contagem de colônias foi reduzida eficientemente com a aplicação do Sfíngoni como mostra os resultados, tendo resultados semelhantes com a amostra controle de Sensiva SC 50. Gráfico estudo II Sfingone

    • Estudo III

Estudo com 32 voluntários avaliou a eficácia do Sfíngoni no cuidado com o cabelo. Uma formulação de tônico capilar foi fornecida aos voluntários, sendo esta formulação aplicada diariamente no cabelo seco pela manhã e ao final da tarde, seguido de uma leve massagem no couro cabeludo.

As formulações foram acrescidas com as concentrações de 01, %, 0,2% e 0,5% de Sfíngoni, posteriormente os resultados foram comparados entre si e com o veículo sem adição de nenhum ativo.

Resultado

A taxa média anágena no início do estudo era similar entre o grupo veículo (73,2%) e o grupo Sfíngoni (75,4%). Após 8 semanas, a taxa de cabelo anágeno foi significativamente aumentada em 3%, de 75,4% para 78,4% no grupo Sfíngoni, comparado a diminuição da fase anágena em 2,2% no grupo veículo. Essa mudança no grupo Sfíngoni, mostrou um significante efeito quando comparada a mudança no grupo veículo. Gráfico estudo III Tratamento da queda de cabelo Gráfico estudo IIIA Tratamento da queda de cabelo

O2 Hair

É um glicogênio de origem marinha altamente purificado que devido a sua semelhança com o glicogênio de células capilares, assegura disponibilidade de energia na fase anágena do cabelo, estimulando o crescimento do folículo piloso e aumento da espessura do cabelo. O glicogênio do O2 Hair é extraído a partir dos mexilhões.

Mecanismo de ação

O estoque de glicogênio na bainha radicular externa é utilizado no abastecimento de energia para desenvolvimento das atividades das células do bulbo, cada fase e também as células precisam de demanda de energia para exercer suas funções e crescimento, assim, o O2 Hair promove energia para o cabelo crescer mais resistente e saudável.

O O2 Hair tem efeito estimulante no crescimento do folículo piloso e na mitose dos queratinócitos do bulbo, ainda é capaz de aumentar a resistência e o brilho dos cabelos, proporcionando intensa energia aos fios.

Indicação e benefícios

    • Promove energia para manter a atividade e crescimento do folículo piloso;
    • Aumenta o volume da papila dérmica;
    • Estimula desenvolvimento dos folículos pilosos;
    • Reduz a fragilidade e aumenta a vitalidade capilar;
    • Atividade no aumento do volume do cabelo;
    • Estimula a produção de proteínas essenciais na fase anágena;
    • Poder ser utilizado sozinho ou em associação;
    • Aumento da espessura da sobrancelha;
    • Tratamento de cabelos desvitalizados, secos e finos, pós-química, envelhecidos;
    • Promove brilho, fortalecimento e revitalização capilar.

 

Estudos

    • Estudo I

Estudo realizado com 10 voluntárias que apresentavam cabelos fracos, finos e sem vida. Foi aplicado xampo a 2% de O2 Hair e uma ampola de hidratação intensiva com 10% de O2 Hair, 3 vezes por semana. Resultado: após 8 semanas, O2 Hair melhorou a espessura dos cabelos em 12,5% sendo que em 70% das voluntárias a média foi de 19,3%. Gráfico espessura do cabelo Gráfico estudo Tratamento da queda de cabelo

Referências

    1. Fischer TW, Burmeister G, Schmidt HW, Elsner P.Melatonin increases anagen hair rate in women with androgenetic alopecia or diffuse alopecia: results of a pilot randomized controlled trial. Br J Dermatol. 150(2): 341-5, 2004.
    2. Fischer TW, Trüeb RM, Hänggi G, Innocenti M, Elsner P. Topical melatonin for treatment of androgenetic alopecia. Int J Trichology. 4(4): 236-45, 2012.
    3. Fischer TW. The influence of melatonin on hair physiology. Hautarzt. 60(12):962-72, 2009.
    4. Fischer TW1, Slominski A, Tobin DJ, Paus R. Melatonin and the hair follicle. J Pineal Res. 44(1): 1-15, 2008.
    5. Gupta M, Mysore V.Classifications of Patterned Hair Loss: A Review. J Cutan Aesthet Surg. 9(1):3-12, 2016.
    6. Kobayashi H, Kromminga A, Dunlop TW, Tychsen B, Conrad F, Suzuki N, Memezawa A, Bettermann A, Aiba S, Carlberg C, Paus R. A role of melatonin in neuroectodermal-mesodermal interactions: the hair follicle synthesizes melatonin and expresses functional melatonin receptors. FASEB J. 19(12): 1710-2, 2005.
    7. Li J, Yang Z, Li Z, Gu L, Wang Y, Sung C. Exogenous IGF-1 promotes hair growth by stimulating cell proliferation and down regulating TGF-β1 in C57BL/6 mice in vivo. Growth Horm IGF Res. 24(2-3): 89-94, 2014.
    8. Literatura do fabricante: Evonik – Alemanha.
    9. Literatura do fornecedor: Cobiosa – Espanha.
    10. Rossi A, Cantisani C, Melis L, Iorio A, Scali E, Calvieri S. Minoxidil use in dermatology, side effects and recent patents. Recent Pat Inflamm Allergy Drug Discov.6(2):130-6, 2012.
    11. Vujovic A, Del Marmol V. The female pattern hair loss: review of etiopathogenesis and diagnosis. Biomed Res Int. 2014: 767628, 2014.

 

Veja outros artigos

Telemedicina
Médicos

Telemedicina

Conforme o cenário atual, no enfrentamento da infecção por Covid-19, a telemedicina torna-se uma ferramenta primordial para a assistência médica ainda que por intermédio de

Deixe um comentário