bin-thi-u-aXDj_NiS05o-unsplash.jpg 1

Através de diferentes mecanismos, lumiskin, backuchiol e inaclear são alternativas para clareamento de manchas na pele podendo trazer significativos resultados também sobre o melasma.

Interferência do estresse em desordens cutâneas

O melasma é um distúrbio provocado pela produção excessiva de melanina, responsável pelo pigmento da pele que leva por conseguinte a aparência de manchas escuras, principalmente na face.

As manchas acastanhadas podem aparecer em apenas um ou em ambos os lados da face. Sua causalidade tem variados interferentes  e entre eles estão, estresse, alteração hormonal e exposição a radiação solar. Ademais é caracterizado como desordem crônica e requer tratamento de manutenção que em alguns casos pode ser prolongado.

Dentro desse tema abordaremos o impacto que o estresse pode provocar sobre o tecido cutâneo, não apenas sobre as características da pele e do agente despigmentante, mas também sobre 3 inovadoras opções de agentes clareadores para tratar manchas na pele.

O estresse interfere na saúde da pele

As respostas do organismo ao estresse induz estímulo e aumentada liberação de hormônios como, corticotropina (CRH), glicocorticóides e epinefrina e estes podem promover impactos no tratamento de manchas na pele, como é o caso do melasma.

As variadas mudanças fisiológicas desencadeadas pelo estresse pode também acontecer na pele, e esta normalmente, atua como alvo de resposta ao estresse.

Fig. 1-Conexão cérebro-pele e as respostas mediadas

skin and brain

(Chen; Lyga, 2014)

Função mitocondrial e antioxidante são alteradas

  • Eventualmente influencia no processo de transcrição (expressão de genes) do ciclo celular bem como danos ao DNA;
  • Inegavelmente, diminui adequado funcionamento mitocondrial e aumenta produção e acumulo de espécies reativas ao oxigênio (ROS);
  • Sobretudo aumenta estresse oxidativo e também reduz a atividade de enzimas antioxidantes.

Mudanças na cicatrização e renovação celular

  • Promove eventualmente, mudanças na diferenciação e migração de queratinócitos tendo como resultado alteração na síntese de colágeno e por conseguinte, afeta o processo de cicatrização;
  • Além disso, ainda compromete a função de barreira e também a resposta anti-inflamatória e imune como também a hidratação da pele.

Modifica a resposta inflamatória

  • O estresse acima de tudo eleva a expressão do hormônio pró-opiomelanocortina (POMC) como também alfa melanocortina (α-MSH), um neuropetídeo que possui atuação em diferentes processos e moléculas inflamatórias. 
(Chen; Lyga, 2014 ; Slominski et al., 2012)

Personalização do tratamento de manchas na pele

Tendo em vista os diferentes tipos de pele e a influencia que a característica individual vai exercer nos resultados terapêuticos, a busca por diferentes e inovadoras opções terapêuticas é recorrente.

É constante a busca por resultados terapêuticos, especialmente, em pacientes que demonstram resistência a terapêutica proposta ou mesmo quando não é perceptível melhora das manchas.

Entre as opções terapêuticas estão desde opção clássica como é o caso da hidroquinona (HQ) até as alternativas mais novas para tratar melasma.

(Srivastava et al., 2020; Chen; Lyga, 2014)

Despigmentante de acordo com característica da pele

Conforme a expressão gênica de cada indivíduo e de acordo com as características étnicas (oriental, indiana e africana) pois isso pode implicar nas  respostas ao tratamento proposto. Especialmente, cada tipo de pele pode influenciar na condição clínica bem como nos resultados terapêuticos.

Recentes estudos tem apontado que a expressão gênica pode certamente ser um grande influenciador para estimular alterações melanogênicas. Contudo a busca por uma terapêutica assertiva de acordo com a avaliação  do perfil genético parece ser o futuro da terapêutica com agentes despigmentantes.

A proposta de utilizar uma associação de diferentes agentes despigmentantes que atuam sobre a cascata de pigmentação pode promover  interessantes e pode ser a saída para terapêutica de manchas hiperpigmentadas.

(Markiewicz et al., 2020; Del Bino et al., 2018)

3 inovadores agentes clareadores para manchas na pele

As  opções de despigmentantes propostas aqui mostram consideráveis benefícios em diferentes condições que afetam a pele, sendo não apenas tratamento de manchas hiperpigmentadas, mas também envelhecimento cutâneo e acne.

Litenol A-backuchiol melhora elasticidade e acne

INCI name: Bakuchiol

É um  monoterpeno fenólico extraído do vegetal Psoralea corylifolia, com potente atividade phyto-retinoide e dessa maneira estimula renovação celular bem como manutenção da firmeza e elasticidade da derme e como resultado  induz estímulo da síntese de colágeno e elastina

Além disso, sua propriedade antioxidante, previne e reduz estresse oxidativo e consequentemente impede o desenvolvimento de processos inflamatórios como também reduz a expressão de metaloproteinases (MMPs).

Backuchiol- um retinol-like

É um ativo definido como devido a suas propriedades comprovadas na mediação da expressão gênica estimulando síntese de colágeno I, III e IV, como também aquoporinas e desenvolvimento de fibroblastos dérmicos. Sua ação foi considerada semelhante ao ácido retinoico por estimular  renovação celular uma opção vantajosa em pacientes com melasma e acne.

Fig.2- Semelhanças entre ácido retinoico versus Lytenol A- Bakuchiol

backuchiol no tratamento do melasma

Modo de atuação do litenol A-backuchiol

Litenol possui efeitos semelhantes aos retinoides (retinol-like), com efeito clinicamente comprovado no tratamento da acne através de inibição da expressão de 5 alfa redutase e desse modo consequentemente diminui a atividade da glândula sebácea.

Secundariamente a redução de sebo e backuchiol pode também provocar inibição de mediadores inflamatórios e acima tudo possui notável potencial fotoprotetor prevenindo danos as fibras elásticas, rugas e linhas de expressão como também reduz a incidência de cicatrizes e processo inflamatório.

Fig.1 Diferentes mecanismos de Litenol A-backuchiol

Back e acne e melasma

(Kang et al., 2020; Chaudhuri et al., 2014; Xin et al., 2019; Dhaliwal et al., 2018; Lev-Tov, 2019)

Inaclear

INCI name: Bentonite (and) Trimethoxybenzyl Acetylsinapate

A ativação do POMC afeta diretamente a liberação do hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) que é parcialmente transformado em hormônio alfa estimulante de melanócito (alfa-MSH) esta envolvido especialmente na ativação da melanogênese e o estresse pode ser um forte influenciador sobre os melanócitos.

De acordo com suas propriedades, inaclear induz aumento da síntese da proteína DKK-1 e desse modo leva a inibição da síntese de melanina. Além disso, inibe também a entothelina-1 e a MART-1, ambas envolvidas na sinalização para a síntese e maturação da melanina.

Como inaclear atua na redução de manchas na pele

Inibição da melogênese via DKK-1 : DKK-1 atua como inibidor quando se liga ao receptor WNT melhorando a uniformização da pigmentação cutânea

Capacidade de inibir a entothelina-1 (ET-1) que atua favoravelmente, na hiperpigmentação como também da expressão de MART-1 que se complexa com outras moléculas da cascata da pigmentação e promove, estabilização e expressão sobre os melanossomos e também na maturação da melanina.

(Literatura técnica do fabricante: Inabata)

Lumiskin

INCI name: Caprylic/Capric Triglyceride (and) Diacetyl Boldine

Solução de diacetil boldina e triglicérides cápricos/caprílicos que primordialmente, estabiliza a atividade da tirosinase devido ao seu potencial despigmentante.

Diacetil boldina (DAB) funciona via bloqueio dos receptores α-adrenérgicos (α-1 e α-2) como também via regulação do influxo de cálcio (Ca2+) no meio intracelular.

Ação de Lumiskin sobre manchas na pele

Primordialmente seu mecanismo de ação está ligado ao bloqueio dos receptores de estresse (alfa adrenérgico 1 e 2) nos melanócitos e além disso,  diminui a entrada (influxo) de cálcio (Ca2+) para a área interna dos melanócitos e consequentemente, promove contribui para que a tirosinase tenha atividade reduzida.

Fig.4- Ilustração do mecanismo de ação de Lumiskin™

Mec luminskin contra melasma

(Literatura técnica do fornecedor: Pharmaspecial)

Possíveis reações adversas ao uso de lumiskin

  • Eritema (2,5%);
  • Prurido (20%);
  • Média esfoliação (7,5%);
  • Pele ressecada (2,5%).
(Pratchyapurit,2016)

Benefícios de lumiskin sobre manchas senis na pele

A eficácia de lumiskin foi avaliada em 22 voluntárias com pele caucasiana e idade média de 58 anos. Durante 60 dias uma formulação contendo 4% de lumiskin foi aplicada duas vezes ao dia sobre o dorso de um das mãos e a outra mão foi usada como controle.

Fig.3-  Resultados comparando antes (T0) da aplicação de Lumiskin™ e após 56 dias (T56)

lumiskin contra melasma

Lumiskin atua na uniformização e clareamento de manchas na pele

Como resultado foi percebido clareamento das manchas senis bem como uniformização da pele de modo geral. Similarmente, em todas as  voluntária nota-se considerável redução das manchas na área do dorso da mão comparando antes e após o uso do produto.

(Pratchyapurit, 2016; Smit et al., 2009; Khmaladze et al., 2019; Literatura técnica do fornecedor: Pharmaspecial)

Estudo clínico comparando uso de lumiskin e hidroquinona no clareamento de manchas na pele

Estudo duplo-cego, randomizado em grupo paralelo com 43 mulheres de fototipos IV e V. Elas foram separadas em 2 grupos, (grupo 1)  fez uso de Neotone que tem na sua composição, uma associação de diferentes ativos, inaclear, lumiskin, niacinamida, licorice e o (grupo 2) fez uso de hidroquinona (HQ) a 4% e ambos os grupos foram avaliados por 12 semanas.

Como resultado

De acordo com os resultados apontados na semana 12,

  • Grupo em uso de neotone

90% das pacientes tiveram uma significativa redução das manchas hiperpigmentadas na pele e semelhantemente foi perceptível uniformização da pigmentação cutânea como mostra a figura 1.

Fig.1- (a) antes do tratamento com Neotone e (b) após 12 semanas do uso de Neotone

lumiskin em form melasma

  • Grupo em uso de hidroquinona (HQ)

No grupo em uso de hidroquinona os resultados foram percebidos menores benefícios, apenas 79% de redução das manchas bem como reduzida uniformização da pigmentação da pele.

Fig.2- (c) antes e após 12 semanas (d) de tratamento com hidroquinona

hidroquinona e lumiskin

(Bronzina et al., 2020)

Uniformização, antiaging e clareamento de manchas na pele

Tratar manchas hiperpigmentadas não é fácil, e no decorrer deste assunto, você pôde perceber que tanto a terapia clássica, como a hidroquinona pode trazer benefício na redução das manchas mas também, novos agentes clareadores, lumiskin e inaclear podendo ser promissoras alternativas e levar a resultados significativos na redução de manchas hiperpigmentadas.

Os cuidados com a pele vão além de clareamento de manchas na pele, podendo ser também de relevância redução da da oleosidade, acne e sinais do envelhecimento estes podem ser fatores importantíssimos para a saúde da pele e desse modo promover saúde e bem estar para seu paciente.


Você precisa estar logado para ver este conteúdo.
Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.
Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

Na escrita do post fizemos o uso de algumas referencias de literaturas que se encontram neste link Referências do post.

Gostou desse artigo? Compartilhe nas suas redes sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp