Benefícios do Goji Berry

Resultados promissores e benefícios para todo o organismo com a suplementação com Goji Berry.

Goji Berry

O papel neuroprotetor de polissacarídeos do Lycium barbarum (PLB), também conhecido como Goji Berry é uma fruta muito utilizada pela medicina tradicional da chinesa, seus benefícios tem sido mostrado por vários estudos. O L. barbarum possui entre seus componentes bioativos, polissacarídeos, carotenóides, flavonóides, aminoácidos, ácidos graxos e vitaminas.

Estudos recentes têm demonstrado seu efeito neuroprotetor nos olhos, na sobrevida de células ganglionares da retina (CGR) em estudo realizado em modelo experimental de glaucoma, com hipertensão ocular crônica (CUI et al., 2011; GAO et al., 2017; CAI et al., 2015).

A L. barbarum, ou Goji Berry, tem sido utilizada historicamente como agente anti pirético, anti-inflamatório e anti-senil há milhares de anos. Experimentos farmacológicos modernos mostraram que os polissacarídeos são os maiores constituintes da planta. Sendo assim, eles são responsáveis por variadas e importantes atividades biológicas, como antioxidante, imunomodulador, antitumoral, neuroprotetora, radioprotetora, antidiabética, hepatoprotetora, anti-osteoporose e inibe a fadiga (JIN et al., 2013; GAO et al., 2017; CAI et al., 2015).

Atividades benéficas

As substâncias antioxidantes e os polissacarídeos contidos no Goji Berry levam a resultados promissores e benefícios para todo o organismo com a suplementação deste ativo. Além disso, apresentam uma série de propriedades interessantes anti-apoptóticas e antioxidantes. Tais atividades podem ser benéficas para a pele humana, principalmente na inibição das metaloproteinases de matriz 1 (MMP-1). Estas enzimas são responsáveis pela degradação das fibras elásticas dérmicas, intimamente ligadas às propriedades biomecânicas da pele (POTTERAT et al., 2009).

Evidencias apontam que as propriedades antioxidantes do Goji Berry estão relacionadas a benefícios para a saúde cardiovascular, para a imunidade e para a proteção contra o estresse oxidativo, pois atuam na regulação metabólica. Dessa forma, são um coadjuvante no tratamento para perda de peso, onde o consumo de polissacarídeos presentes no Goji Berry eleva a taxa metabólica e promove redução da circunferência abdominal (GAO et al., 2017; POTTERAT et al., 2009; CAI et al., 2015).

Os benefícios do Goji Berry estão relacionado a saúde da pele e do organismo, no equilíbrio e modulação do sistema imune. Seu uso pode ser feito por diferentes públicos com idade variada e pode ser manipulado em variadas formas farmacêuticas: cápsulas, chocolate terapêutico, gomas e pó para preparo extemporâneo. Além disso, também pode elevar o efeito anticoagulante da varfarina, e indivíduos que fazem uso de fármacos anticoagulantes devem estar em acompanhamento médico (LEUNG, 2008; IZZO, 2005).

Ação hepatoprotetora

Estudiosos avaliaram o efeito hepatoprotetor e o mecanismo protetor do Goji Berry nos danos causados pela esteatose hepática não alcoólica, em modelo de ratos. Para tal, os ratos receberam uma dieta para induzir a ocorrência da esteatose hepática (EH), com ou sem PLB (1mg/Kg peso), diariamente por 8 semanas.

Comparado com o controle, os ratos com EH induzida apresentaram aumento de danos no fígado, conteúdo lipídico, fibrose, estresse oxidativo, inflamação e apoptose. Os resultados apresentados foram satisfatórios e promissores nos animais tratados com dieta baseada em Goji Berry (L. barbarum):

    • Houve melhora no perfil histológico do fígado e nos níveis de ácido graxo livre;
    • Houve melhora no metabolismo lipídico;
    • Teve ainda redução dos fatores fibrinogênicos pela via TGF-β/SMAD, resultados significativos sobre o estresse oxidativo pela via do citocromo P450;
    • Redução dos mediadores pró-inflamatórios hepáticos e produção de quimiocinas;
    • Diminuição da apoptose hepática através de vias intrínsecas e extrínsecas dependentes de p53;
    • Os resultados mostram que os polissacarídeos contidos no Goji Berry é um excelente agente hepatoprotetor da esteatose hepática causada pela função metabólica anormal do fígado (XIAO et al., 2013).

 

Além disso, também foi avaliado o efeito protetor do Goji Berry sobre os danos do fígado, induzidos por tetracloreto de carbono (CCl4). A hepatotoxicidade nos ratos foi induzida através de injeção intraperitonial de 50µL/Kg de CCl4, 2h antes da injeção os animais foram alimentados com PLB.

Sendo assim, o pré-tratamento com PLB reduziu efetivamente a necrose hepática e os níveis séricos de alanina amonitransferase, induzidos pela intoxicação com CCl4. Ocorreu, também, uma notável inibição da expressão de citocromo P450 e restauração dos níveis de enzimas antioxidantes e também foi apresentada uma redução do metabolismo de óxido nítrico e da peroxidação lipídica induzida pelo CCl4.

Contudo, o Goji Berry atenuou a inflamação hepática através dos mediadores pró-inflamatórios e quimiocinas. Além disso, proporcionou a regeneração do fígado após o tratamento com a substância tóxica. O efeito protetor ocorreu também pela regulação da atividade do fator nuclear kappa-β (XIAO et al., 2012).

Ação antioxidante

A princípio, o Goji Berry (L. barbarum) possui ação na prevenção do estresse oxidativo em humanos. Estudiosos avaliaram a hipótese de que o efeito antioxidante da planta pode ser resultado da sua habilidade em melhorar os fatores antioxidantes endógenos.

Foi investigado o efeito da L. barbarum durante 30 dias, em um estudo clínico controlado por placebo. Para isto, foram incluídos no estudo 50 pacientes chineses adultos saudáveis, com 55 a 72 anos. Os marcadores antioxidantes in vivo, consistindo nos níveis séricos de superóxido dismutase (SOD), de glutationa peroxidase (GSH-Px) e a peroxidação lipídica, foram avaliados antes e após a intervenção com o fitoterápico (AMAGASE et al., 2009).

Dessa forma, no grupo tratado houve um aumento significativo dos marcadores antioxidantes em 8,4% de SOD e 9,9% de GSH-Px. Os resultados indicam um aumento da eficácia antioxidante em humanos pela estimulação dos fatores endógenos e sugerem que a continuação do uso por 30 dias pode ajudar a prevenir e reduzir as condições relacionadas a liberação de radicais livres. O Goji Berry está relacionado as suas atividades como potente agente antienvelhecimento, sendo eficaz para neutralizar o envelhecimento prematuro do cabelo (AMAGASE et al., 2009).

Suplementação com Goji Berry

A suplementação diária com Goji Berry por 90 dias em um estudo realizado com idosos (entre 65 e 70 anos) mostrou melhora nas características da macula. Este grupo recebeu 13,7g/dia de Goji Berry ou placebo.

Os resultados mostram que o grupo tratado com placebo apresentou hipopigmentação e acumulação de drusas moles na mácula, entretanto o grupo tratado permaneceu estável. Os níveis plasmáticos da zeaxantina e a capacidade antioxidante aumentaram significativamente no grupo tratado, em 26% e 57%, respectivamente, mas esta mudança não ocorreu no grupo placebo. Não foi relatado nenhum efeito adverso (BUCHELI et al., 2011).

O Goji Berry ajuda no aumento da atividade de enzimas atuantes como antioxidantes. Protegendo contra os efeitos tóxicos de espécies reativas ao oxigênio e modula os efeitos fisiológicos prevenindo danos as membranas e as células, gerando proteção ao tecido cutâneo e resultados promissores sobre a pele (GAO et al., 2017).

Efeito anticâncer e imunomodulatório

A fruta L. barbarum é um agente/adjuvante com potencial anticâncer. Seus maiores componentes ativos, polissacarídeos do L. barbarum (PLB), escopoletina e 2-O-β-D- L- ácido ascórbico–glucopiranosil (AA-2βG), são conhecidos por possuir efeitos antiapoptóticos e antiproliferativos em linhagens de células de câncer. Além disso, PLB também contribui para melhorar os efeitos imunomodulatórios do corpo, em terapias contra o câncer. Não há relatos de efeitos indesejáveis (TANG et al., 2012).

O sistema imunológico declina com a idade, com mudanças prováveis ​​tanto na imunidade inata quanto na adaptativa. O processo de envelhecimento pode levar a uma diminuição da eficácia de vacina e levando a uma maior incidência de infecções, neoplasias e doenças autoimunes.

Tornou-se cada vez mais evidente que a desregulação imunológica é um fator que contribui para as patologias relacionadas à idade e sua morbidade e mortalidade associadas. Vários estudos demonstraram que os polissacarídeos podem regular positivamente as respostas imunes inatas e adaptativas. Assim, o polissacarídeo Lycium barbarum pode contribuir marcadamente para a modulação imunológica (GAO et al., 2017).

Foi investigado o efeito da PLB na diferenciação e maturação de células dendríticas (CD) saudáveis derivadas do sangue humano, em diferentes microambientes de tumor in vitro. Foi observado que no grupo tratado com PLB, o fenótipo molecular das CD, a sua capacidade de estimular a proliferação de linfócitos alogênico.

Sendo assim, os níveis de IL-12 e a secreção de INF-γ foram mais elevados que no grupo controle, com significância estatística. A expressão de NF-kβ das CD também foi significativamente maior nas células tratadas. Portanto, os resultados sugerem que o PLB desempenha um forte papel antitumoral e no papel de sinalização com NF-kβ (CHEN et al., 2012).

Zhu e Zhang (2012) avaliaram o efeito do PLB na proliferação de células de carcinoma cervical humana, e concluíram que esta ação é causada pela indução da apoptose através da via mitocondrial. O PLB é um potencial candidato para atuar como um potencial agente quimioterápico contra o câncer cervical humano.

A apoptose é um processo ativo que envolve ativação gênica, expressão gênica e regulação gênica, e assim por diante. A irregularidade da apoptose tem sido cada vez mais implicada no envelhecimento e nas doenças relacionadas ao envelhecimento. A apoptose é um processo controlado por inúmeros genes. A inibição da apoptose está intimamente relacionada com as abordagens antienvelhecimento e antioxidativo (GAO et al., 2017).

Benefícios e indicações do Goji Berry

    • Extrato 100% vegetal;
    • Alto potencial antioxidante;
    • Neutraliza espécies reativas ao oxigênio;
    • Coadjuvante no tratamento antiaging;
    • Prevenção de doenças cardiovasculares;
    • Ação na modulação do sistema imunológico;
    • Potencial anti-inflamatório;
    • Coadjuvante para controle dos níveis glicêmicos.

 

Referências

    1. Amagase h, Sun B, Borek C. Lycium barbarum(goji) juice improves in vivo antioxidant biomarkers in serum of healthy adults. Nutr Res. 29(1), 19-25, 2009.
    2. Bucheli P, Vidal K, Shen L, Gu Z, et al. Goji berry effects on macular characteristics and plasma antioxidant levels. Optom Vis Sci. 88(2), 257-62, 2011.
    3. Cai, H., Liu, F., Zuo, P., Huang, G., Song, Z., Wang, T. Sun, G. Practical Application of Antidiabetic Efficacy of Lycium barbarum Polysaccharide in Patients with Type 2 Diabetes. Medicinal chemistry (Shariqah (United Arab Emirates)). 11(4), 383-90, 2015.
    4. Chen JR, Li EQ, Dai CQ, Yu B, et al. The inducible effect of LBP on maturation of dendritic cells and the related immune signaling pathways in hepatocellular carcinoma (HCC). Curr Drug Deliv. 9(4), 414-20, 2012.
    5. Cui B, Liu S, Lin XJ, Wang J, et al. Effects of Lycium barbarum Aqueous and Ethanol Extracts on High-Fat-Diet Induced Oxidative Stress in Rat Liver Tissue. Molecules. 16, 9116-28, 2011.
    6. Gao, Y., Wei, Y., Wang, Y., Gao, F., & Chen, Z. Lycium barbarum: A Traditional Chinese Herb and A Promising Anti-Aging Agent. Aging and disease, 8(6), 778–91, 2017.
    7. Izzo AA, Di Carlo G, Borrelli F, Ernst E. Cardiovascular pharmacotherapy and herbal medicines; the risk of drug interaction. Int j Cardiol. 98, 1, 1-14, 2005.
    8. Leung H, et al. Warfarin overdose due the possible effects of Lycium barbarum Food Chem Toxicol. 46, 1860-62, 2008.
    9. Jin M, Huang Q, Zhao K, Shang P. Biological activities and potential health benefit effects of polysaccharides isolated from Lyciumbarbarum L. Int J Biol Macromol. 54, 16-23, 2013.
    10. Potterat, O. Goji (Lycium barbarumandL. chinense): Phytochemistry, Pharmacology and Safety in the Perspective of Traditional Uses and Recent Popularity. Planta Medica. 76(01), 7–19, 2009.
    11. Tang WM, Chan E, Kwok CY, et al. A review of the anticancer and immunomodulatory effects of Lycium barbarum fruit. 20(6), 307-14, 2012.
    12. Xiao J, Liong EC, Ching YP, Chang RC, Fung ML, Xu AM, So KF, Tipoe GL. Lycium barbarum polysaccharides protect rat liver from non-alcoholic steatohepatitis-induced injury. Nutr Diabetes. 3, e81, 2013.
    13. Xiao J, Liong EC, Ching YP, Chang RC, So KF, Fung ML, Tipoe GL. Lycium barbarum polysaccharides protect mice liver from carbon tetrachloride-induced oxidative stress and necroinflammation. J Ethnopharmacol. 139(2), 462-70, 2012.
    14. Zhu CP, Zhang SH. Lycium barbarumpolysaccharide inhibits the proliferation of HeLa cells by inducing apoptosis. J Sci Food Agric. 2012.

Veja outros artigos

Telemedicina
Médicos

Telemedicina

Conforme o cenário atual, no enfrentamento da infecção por Covid-19, a telemedicina torna-se uma ferramenta primordial para a assistência médica ainda que por intermédio de

Deixe um comentário