Curcuwin

Curcuwin age como imunomodulador, anti-inflamatório e antioxidante

Curcuwin

O Curcuwin (extrato padronizado de Cúrcuma longa L) possui mínimo de 20% de curcumina, tem biodisponibilidade 46 vezes maior em comparação a curcumina padrão, possui melhor solubilidade, estabilidade e possivelmente baixo metabolismo de primeira passagem.

A molécula foi melhorada pelo uso das propriedades tecnológicas do ultrassol e, devido a isso, a molécula se torna hidrofílica, sendo dispersível e solúvel em água e protegendo o Curcuwin® da degradação enzimática e oxidativa. Possui um excelente potencial anti-inflamatório e antioxidante, principalmente no tratamento de doenças inflamatórios crônicas.

Seu uso é seguro, não apresentando efeitos adversos em baixas doses. Outros benefícios são na vasodilatação, imunomodulação e antibacteriano.

O Curcuwin é uma molécula com as mesmas propriedades e composição da Cúrcuma longa, porém a sua absorção e biodisponibilidade é altamente melhor, o que propicia melhores resultados na terapêutica e a administração de uma menor dose para alcançar os resultados desejados com a terapêutica.

(Oliver et al., 2016; Shehzad et al., 2012)

Melhor resposta imunomoduladora, anti-inflamatória e antioxidante

A atividade do Curcuwin está em atuar sobre a inflamação com supressão de mediadores inflamatórios e impedir a ativação do fator nuclear kappa B (NF-κB). Consegue ainda reduzir a sinalização inflamatória, inibindo a ação de proteínas e moléculas específicas no desencadear de inflamação.

O uso de Curcuwin está ligada a fatores de transcrição que agem na regulação de desenvolvimento e sinalização celular. O Curcuwin mostra melhor resposta imunomoduladora, anti-inflamatória e antioxidante devido a esses variados mecanismos.

Outras vantagens consideráveis podem ser notadas com a utilização de Curcuwin, como a redução de risco da doença cardiovascular, devido a sua ação sobre a inflamação. Pode ajudar na prevenção e tratamento de aterosclerose, por causa da sua atuação sobre a função endotelial e anti-inflamatória.

Seu potencial anti-inflamatório e imunomodulador possibilita seu uso para tratamento da artrite reumatoide e artrose, além de agir sobre o processo de cicatrização.

(Daily et al., 2016; He te al., 2015)

Benefícios

  • Ação vasodilatadora;
  • Ação antioxidante;
  • Ação anti-inflamatória;
  • Ação antibacteriana;
  • Ação imunomoduladora.
(Jamwal, 2018; Jager et al., 2014; Gupta et al., 2013; Oliver et al., 2016; Jäger et al., 2014; Daily et al., 2016; He te al., 2015)

Benefícios do Curcuwin

A inflamação é suprimida por meio de inibição do complexo de sinalização (IKK) impedindo assim a ativação do fator nuclear kappa B (NF-κB). A curcumina também reduz a sinalização inflamatória inibindo a ligação da proteína ativadora-1 (AP-1) ao DNA e a produção da enzima ciclooxigenase-2 (COX-2).

Pode ainda inibir o processo inflamatório por meio de diferentes mecanismos

(Oliver et al., 2016; Shehzad et al., 2012).

A suplementação com curcuwin eleva a atividade antioxidante aumentando os níveis séricos de superoxido dismutase (SOD), Glutationa peroxidase (GPx) e glutationa (GSH) em comparação com os outros grupos. A base molecular das propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da curcumina está ligada a fatores de transcrição, reguladores de crescimento e moléculas de sinalização celular.

Além disso, a curcumina pode proteger contra o estresse oxidativo através da produção da proteína heme oxigenase-1, uma indutora de estresse que degrada íons ferro e biliverdina redutase, sendo estes importantes na função do sistema vascular.

(Sahin et al., 2016; Hewlings & Kalman, 2017)

Outras ações

Vários estudos relatam que a curcumina inibe a eliminação de radicais superóxido, peróxido de hidrogênio e óxido nítrico de macrófagos ativados, reduzindo o complexo de ferro e inibindo a peroxidação lipídica. Pode ainda inibir as enzimas geradoras de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio (ROS e RNS), como a lipoxigenase/ ciclooxigenase e a xantina hidrogenenase / oxidase.

(Sahin et al., 2016; Hewlings & Kalman, 2017)

No tratamento da osteoartrite e artrite a curcumina tem sido utilizado como agente terapêutico devido a sua potente ação anti-inflamatória e anti-oxidante e indutor de apoptose, tem sido apontado como terapia alternativa para o tratamento de doenças crônicas como a artrite reumatoide.

A curcumina tem se mostrado segura e medeia os seus efeitos anti-inflamatórios através da regulação negativa de fatores de transcrição inflamatórios, citocinas, reações de oxi-redução, proteínas cinases e enzimas que promovem a inflamação.

(Daily et al., 2016; He te al., 2015; Kloessch et al., 2013; Shehzad et al., 2012; Chandran et al., 2012)

Mecanismo de ação

Sua funcionalidade está relacionada a diferentes meios da modulação de múltiplos alvos moleculares, proteínas de sinalização celular, proteínas do ciclo celular, citocinas e quimiocinas, enzimas, receptores e moléculas de adesão da superfície celular.

Modulador de vias de sinalização na multiplicação celular regulando os produtos e genes da sobrevivência celular, regula genes os p53, p21, p27 e induz a apoptose por meio da ativação do gene proapoptótico.

(Jamwal, 2018; Jager et al., 2014; Gupta et al., 2013; Purpura et al., 2017; Daily et al., 2016; He et al., 2015; Chandran et al., 2012)

Indicação

  • Melhorar função endotelial em indivíduos jovens saudáveis;
  • Reduzir o risco de doença cardiovascular;
  • Coadjuvante no tratamento das disfunções metabólicas;
  • Ajudar no processo de cicatrização;
  • Tratar desordens inflamatórias;
  • Coadjuvante para tratar artrite reumatoide e artrose em adultos e idosos.
(Jäger et al., 2014; Gupta et al., 2013; Oliver et al., 2016; Daily et al., 2016)

Interação medicamentosa

  • Interação com antiplaquetários, salicilatos, anticoagulantes.

Possíveis reações adversas

  • Sintomas gastroitestinais (diarreia);
  • Náuseas;
  • Dermatite.
(Seddon et al., 2019; Daily et al., 2016; Hewlings & Kalman, 2017)

Diferenciais

  • Aumentada biodisponibilidade que outras formas de curcumina;
  • Hidrossolubilidade ajustada;
  • Maior tempo de sobrevida no organismo;
  • Absorção 46 vezes maior do que a curcumina padrão.
(Jamwal, 2018; Seddon et al., 2019; Oliver et al., 2016)

Estudos

Estudo I

Estudo controlado por placebo duplo cego com adultos jovens saudáveis com idade de 19 a 29 anos por 56 dias, foram utilizadas doses de 50 mg e 200 mg de curcuwin e placebo.

Tabela estudo I

Resultado

Benéfico em reduzir o risco de doença cardiovascular e melhorar a função endotelial em indivíduos jovens saudáveis, sem fatores de risco estabelecidos para doença cardiovascular (DCV) com a dose de 200 mg (Oliver, J. M., Stoner, L., Rowlands, D. S., Caldwell, A. R., Sanders, E., Kreutzer, A. Jäger, R. 2016)

Estudo II

Estudo piloto randomizado com 45 pacientes, idade de 18 a 65 anos diagnosticados com artrite reumatoide foram utilizados 500 mg de curcumina, 500 mg de curcumina associado a 50 mg de diclofenaco de sódio ou monoterapia com diclofenaco de sódio 50 mg diariamente por 56 dias.

Resultados

Apresentou segurança e eficacia no tratamento da artrite reumatoide tanto sozinho como quando associado ao uso de diclofenaco de sódio, porém quando utilizado sozinho não teve presença de reações adversas e foi bem tolerado, em combinação com diclofenaco houve serias reações adversas.

Tabela 1. Eficacia do tratamento (score de atividade da AR) Tabela estudo IIA

Tabela 2. Eficacia do tratamento (escala nível da dor) Tabela estudo IIB

Faça o download do arquivo no link abaixo e saiba mais sobre o assunto.

Você precisa estar logado para ver este conteúdo. Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico. Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

    1. Jamwal, R. (2018). Bioavailable curcumin formulations: A review of pharmacokinetic studies in healthy volunteers. Journal of Integrative Medicine. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30006023
    2. Jäger, R., Lowery, R. P., Calvanese, A. V., Joy, J. M., Purpura, M., & Wilson, J. M. (2014). Comparative absorption of curcumin formulations. Nutrition journal, 13, 11. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3918227/
    3. Gupta SC, Patchva S, Aggarwal BB. (2012). Therapeutic roles of curcumin: lessons learned from clinical trials. AAPS J. 15(1):195–218. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3535097/
    4. Purpura, M., Lowery, R. P., Wilson, J. M., Mannan, H., Münch, G., & Razmovski-Naumovski, V. (2017). Analysis of different innovative formulations of curcumin for improved relative oral bioavailability in human subjects. European journal of nutrition, 57(3), 929–38. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28204880
    5. Seddon N., D’Cunha N M., Mellor D D., Andrew J. McKune, Ekavi N.(2019). Effects of Curcumin on Cognitive Function—A Systematic Review of Randomized Controlled Trials. Exploratory Research and Hypothesis in Medicine. 4(1):1-11. http://www.xiahepublishing.com/2472-0712/ArticleFullText.aspxsid=2&id=10.14218%2FERHM.2018.00024
    6. Oliver, J. M., Stoner, L., Rowlands, D. S., Caldwell, A. R., Sanders, E., Kreutzer, A., … Jäger, R. (2016). Novel Form of Curcumin Improves Endothelial Function in Young, Healthy Individuals: A Double-Blind Placebo Controlled Study. Journal of nutrition and metabolism, 2016, 1089653. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5005531/
    7. Sahin, K., Pala, R., Tuzcu, M., Ozdemir, O., Orhan, C., Sahin, N., & Juturu, V. (2016). Curcumin prevents muscle damage by regulating NF-κB and Nrf2 pathways and improves performance: an in vivo model. Journal of inflammation research,9, 147–54. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5010171/
    8. Jäger, R., Lowery, R. P., Calvanese, A. V., Joy, J. M., Purpura, M., & Wilson, J. M. (2014). Comparative absorption of curcumin formulations. Nutrition Journal, 13(1). https://nutritionj.biomedcentral.com/articles/10.1186/1475-2891-13-11
    9. Daily, J. W., Yang, M., & Park, S. (2016). Efficacy of Turmeric Extracts and Curcumin for Alleviating the Symptoms of Joint Arthritis: A Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Clinical Trials. Journal of medicinal food, 19(8), 717–29. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5003001/ 
    10. He, Y., Yue, Y., Zheng, X., Zhang, K., Chen, S., & Du, Z. (2015). Curcumin, inflammation, and chronic diseases: how are they linked?. Molecules (Basel, Switzerland), 20(5), 9183–13. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6272784/
    11. Kloesch, B., Becker, T., Dietersdorfer, E., Kiener, H., & Steiner, G. (2013). Anti-inflammatory and apoptotic effects of the polyphenol curcumin on human fibroblast-like synoviocytes. International Immunopharmacology, 15(2), 400–05. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23347846/
    12. Shehzad, A., Rehman, G., & Lee, Y. S. (2012).Curcumin in inflammatory diseases. Bio Factors, 39(1), 69–77. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23281076/
    13. Chandran, B., & Goel, A. (2012). A Randomized, Pilot Study to Assess the Efficacy and Safety of Curcumin in Patients with Active Rheumatoid Arthritis. Phytotherapy Research, 26(11), 1719–25. https://sci-hub.se/https://doi.org/10.1002/ptr.4639
    14. Hewlings, S. J., & Kalman, D. S. (2017). Curcumin: A Review of Its’ Effects on Human Health. Foods (Basel, Switzerland),6(10), 92. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5664031/

Veja outros artigos

Telemedicina
Médicos

Telemedicina

Conforme o cenário atual, no enfrentamento da infecção por Covid-19, a telemedicina torna-se uma ferramenta primordial para a assistência médica ainda que por intermédio de

Deixe um comentário