Acetil-L-Carnitina na Hepatite C

Acetil-L-Carnitina como opção adjuvante para a terapia da Hepatite C crônica

Hepatite C

Hepatite C é uma doença de elevada prevalência que afeta a qualidade de vida dos indivíduos. A infecção pelo vírus da Hepatite C (VHC) é um problema mundial de saúde pública. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 2,5 a 4,9% da população brasileira esteja infectada pelo VHC, o que significaria de 3,9 a 7,6 milhões de pessoas com risco de desenvolver cirrose ou hepatocarcinoma (ALVES et al., 2003).

A Acetil-L-Carnitina é uma opção como adjuvante para a terapia desta condição. A infecção pelo VHC não só compromete a qualidade de vida do indivíduo, mas também tem sido associada à marginalização social, ao comprometimento das relações íntimas e familiares, à reduzida sensação de bem-estar, sendo associada ainda a fadiga e depressão (MALAGUARNERA et al., 2014).

Benefícios e indicação da Acetil-L-Carnitina 

    • Aumenta a produtividade no trabalho;
    • Coadjuvante na redução da carga viral em pacientes com hepatite C crônica;
    • Melhora sintomas psicossomáticos relacionados a terapia contra o VHC;
    • Reduz a depressão e fadiga física e mental;
    • Melhora resposta imunológica.

Terapia padrão e efeitos adversos relacionados à qualidade de vida

A administração de PEG-Interferon Alfa-2b e ribavirina é tida como terapia padrão da Hepatice C, podendo atingir taxas de erradicação de 75% a 80% em pacientes com genótipos 2 e 3 e de 45% a 52% em pacientes com genótipo 1.

No entanto, este tratamento tem demonstrado elevado risco de efeitos adversos relacionados à saúde psicossocial e estresse no local de trabalho. Foi observado:

    • Aumento no humor deprimido ou irritável;
    • Sensação de tristeza;
    • Acentuada diminuição do interesse em atividades que normalmente eram prazerosas;
    • Diminuição da capacidade de concentração;
    • Aumento da fadiga física e mental;
    • Diminuição dos níveis de energia (MALAGUARNERA et al., 2014).

Acetil-L-Carnitina, adjuvante para redução dos efeitos adversos à terapia padrão

A Acetil-L-Carnitina é uma molécula endógena versátil presente no metabolismo dos mamíferos. Desempenha um papel importante na produção de energia celular e também está envolvida no transporte de ácidos graxos de cadeia longa para dentro da matriz mitocondrial (MALAGUARNERA et al., 2014).

Sendo assim, recentes estudos demonstraram que a suplementação de Acetil-L-Carnitina como adjuvante à terapia padrão com PEG-interferon alfa-2b associado a ribavirina foi capaz de melhorar as atividades diárias e reduzir o presenteísmo e a fadiga em pacientes com Hepatite C crônica (MALAGUARNERA et al., 2014).

Trabalhadores de escritório com Hepatite C crônica, tratados com PEG-Interferon Alfa-2b mais ribavirina, apresentam perda de desempenho no trabalho. Um estudo demonstrou que a suplementação de Acetil-L-Carnitina como adjuvante à terapia padrão foi capaz de melhorar as atividades diárias e reduzir os presenteísmo e a fadiga nesses pacientes.

No grupo tratado com Acetil-L-Carnitina, a perda de produtividade em relação ao grupo placebo foi menor.

Conforme outro estudo conduzido por pesquisadores italianos, foi avaliado o uso de 2 g de L-Carnitina em adição ao tratamento com interferon-α e ribavirina na Hepatite C. Desta forma, este tratamento combinado apresentou grande efeito anti-hiperlipidêmico.

Concluiu-se que a L-Carnitina desempenha um importante papel na prevenção da esteatose em pacientes com Hepatite C sob tratamento com interferon alfa e ribavirina (ROMANO et al., 2008).

Tal qual outro estudo feito com o objetivo de avaliar a eficácia e segurança do uso de silimarina na carga viral, nos níveis séricos das enzimas hepáticas e no bem-estar dos pacientes com Hepatite C crônica. De acordo com os resultados, a silimarina foi bem tolerada nos pacientes, reduzindo de maneira significativa a contagem viral, enzimas hepáticas, melhorando qualidade de vida e bem-estar psicológico dos pacientes com VHC (GORDON et al., 2006).

Estudos

    • Estudo I

Segundo Gomez e colaboradores (2010), um estudo avaliou a eficácia de um suplemento como antioxidante e imunomodulador em pacientes com Hepatite C crônica.

O suplemento era composto por ácido málico 666 mg, ácido glicerízico 33 mg, glucosamina 666 mg, arginina 666 mg, glicina 333 mg, pantotenato de cálcio 2 mg, ácido ascórbico 20 mg, ácido fólico 66 mcg, cianocobalamina 0,3 mcg, sulfato de zinco 5 mg e piridoxal 0,6 mg. Os pacientes receberam 3 sachês por dia, durante 24 semanas.

Resultados

Os resultados indicaram que a suplementação promoveu uma melhora notável no estresse oxidativo e nos parâmetros imunológicos dos pacientes com hepatite C crônica (GOMEZ et al., 2010).

    • Estudo II

Um estudo conduzido por Malaguarnera e colaboradores (2014) teve como objetivo avaliar os efeitos da administração da Acetil-L-Carnitina sobre a produtividade no trabalho, a atividade diária e a fadiga em indivíduos com hepatite C crônica tratados com PEG-interferon alfa-2b e ribavirina.

Dessa forma, 62 pacientes com Hepatite C foram selecionados e divididos em 2 grupos, 30 receberam terapia padrão associada ao placebo e 32 receberam a terapia padrão associada a Acetil-L-Carnitina. Foram avaliadas por meio de questionário Work Productivity e Activity Impairment:

    • A perda de produtividade no trabalho, comprometimento nas atividades diárias, presenteísmo e absenteísmo;
    • A gravidade da fadiga mental e física.

  Resultados

  1. Acetil-L-carnitina aumenta a produtividade no trabalho de pacientes com hepatite C crônica;
  2. Foi observada uma diferença significativa na gravidade da fadiga mental e física após 12 meses de tratamento;
  3. No grupo 2, foi observada uma redução significativa do presenteísmo e comprometimento das atividades diárias após 6 e 12 meses após uso de terapia padrão mais acetil-L-carnitina;
  4. Observou-se um aumento significativo da produtividade no trabalho após 12 meses e no acompanhamento.

Referências

    1. Alves, A. V; Azevedo, A. P. C; Perin, C; Ramos, G. Z; Brandão, A. B. M; Mattos, A. A; Almeida, P. R. L. Tratamento de Pacientes com Hepatite Crônica pelo Vírus C com Interferon-α e Ribavirina: a experiência da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul. 40(4), 227-32, 2003.
    2. Gordon A, Hobbs DA, Bowden DS, Bailey MJ, Mitchell J, Francis AJ, Roberts SK. Effects of Silybum marianum on serum hepatitis C virus RNA, alanine aminotransferase levels and well-being in patients with chronic hepatitis C. J Gastroenterol Hepatol. 21(2), 275-80, 2006.
    3. Gomez EV, Perez YM, Sanchez HV, Forment GR, Soler EA, Bertot LC, Garcia AY, del Rosario Abreu Vazquez M, Fabian LG. Antioxidant and immunomodulatory effects of Viusid in patients with chronic hepatitis C. World J Gastroenterol. 16(21), 2638-47, 2010.
    4. Malaguarnera G1, Pennisi M2, Gagliano C3, Vacante M3, Malaguarnera M4, Salomone S1, Drago F1, Bertino G5, Caraci F6, Nunnari G7, Malaguarnera M3. Acetyl-L-Carnitine supplementation during HCV therapy with pegylated Interferon-α 2b plus ribavirin: effect on work performance; A randomized clinical trial. hepat Mon. 14(5), e11608, 2014.
    5.  Romano M, Vacante M, Cristaldi E, Colonna V, Gargante MP, Cammalleri L, Malaguarnera M. L-carnitine treatment reduces steatosis in patients with chronic hepatitis C treated with alpha-interferon and ribavirin. Dig Dis Sci. 53(4), 1114-21, 2007.

Veja outros artigos

Imunomodulação do sistema imune

Imunomodulação do sistema imune para uma resposta eficaz que pode atuar na prevenção e na redução de infecções das vias respiratórias.    O sistema imune

Sistema-Imune
Geriatria

Suplementação para reforço do sistema imune

Suplementação para reforço do sistema imune com diferentes moléculas propícia melhora da imunomodulação e pode atuar contra infecções das vias aéreas superiores por patógenos.  

Deixe um comentário