tópico dexepina

Com efeito o uso de doxepina provoca redução de lesões, edema, queimação, eritema e o desconforto de prurido e urticária na pele

Como se caracteriza a urticária cutânea

A principio, a urticária é um desordem cutânea com aparecimento inesperado e até mesmo a causalidade desse desconforto é muitas vezes desconhecidas. Entretanto, a urticária na pele tratada com doxepina mostrou resultados significativos uma vez que reduziu desconforto com os sintomas cutâneos.

Desafios da urticária na pele

Ademais em alguns casos esse desconforto exige mudanças na qualidade de vida, e muitas vezes demanda um tratamento assertivo e se você é um paciente com essa desordem ou até mesmo trata pacientes com esse desconforto, conhece bem seus desafios.

Não apenas é um desafio tratar como também em alguns casos possui resultados terapêuticos demorados. A doxepina exibiu efetividade e resultados consideráveis sobre os sintomas da urticária.

(Almasi et al.,2020; Özkaya et al., 2019)

Doxepina sobre os sintomas da urticária na pele

A urticária é uma irritação da pele em determinado local caracterizada por lesões cutâneas com aparente vermelhidão, inchaço e coceira na pele.

Estão entre os principais sintomas

Entretanto, para a terapêutica desses sintomas, a doxepina mostrou ser efetiva na redução de tais sintomas, pois contribui  também para uma melhora da qualidade de vida daqueles que são afetados pela urticária bem como pelo prurido.

(Almasi et al.,2020; Özkaya et al., 2019)

Doxepina pode ser utilizada também por via tópica?

Com efeito estudos tem apontado que o uso de doxepina a 5% amplia o controle do efeito antiprurido e modifica a resposta a inflamação neurogênica por meio da significativa inibição de receptores H1.

Dessa forma a utilização de doxepina por via tópica tem sido utilizada em formulações para a manutenção da terapêutica da urticária da pele e por consequência tem mostrado resultados consideráveis na urticária e prurido.

Semelhantemente, o uso tópico de doxepina mostrou ser, seguro e bem tolerado, com poucas reações adversas também no tratamento do eczema tópico.

Na terapêutica da urticária doxepina também pode ser também utilizada por via oral e tópica

(Andersen et al., 2017; Brasileiro; Barreto, 2016; Panahi et al., 2011)

Entre os benefícios da doxepina

  • Com efeito reduz sintomas de lesões, prurido e urticária, edema, queimação e eritema
  • Todavia melhora aspecto da pele acometida por lesões inflamatórias
  • Ademais diminui o desconforto provocado pela urticária
  • Decerto promove redução de sintomas como angioedema
  • Inegavelmente reduz significativamente sintomas e lesões cutâneas
(Goldsobel et al., 1986; Özkaya et al., 2019; Godseet al., 2018)

Mecanismo de ação da doxepina na  urticária cutânea

Primordialmente, a doxepina atua no bloqueio de receptores histamínicos não apenas dos receptores H1 como também dos receptores H2. Desencadeando desse modo potente atividade anti-histamínica.

Todavia possui alto potencial para bloqueios desses receptores, e desse modo tem resultados superiores a outros agentes terapêuticos convencionais na resposta terapêutica ao tratamento da urticária e prurido cutâneos.

(Goldsobel et al., 1986; Greenberger, 2014; Özkaya et al., 2019; Godse et al., 2018)

Dentre outras opções terapêuticas no tratamento da urticária na pele a doxepina apresenta diferenciais

Diferenciais de doxepina na urticária da pele

  • Conforme suas características possui cerca de 775 vezes maior potência no bloqueio de receptores histamínicos H1 comparado a difenidramina
  • Semelhantemente, apresenta aproximadamente 56 vezes maior potencia que o hidroxizina no bloqueio de receptores H1
  • Todavia a doxepina possui 6 vezes maior pois, apresenta alto potencial no bloqueio de receptores histamínicos H2.
(Goldsobel et al., 1986)

Possíveis reações adversas da urticária na pele tratada com doxepina

De acordo com as características de doxepina e devido a sua ação também sobre bloqueio dos receptores muscarínicos (receptores estimulados pela acetilcolina), alguns efeitos adversos incômodos podem aparecer na forma de,

  • Sonolência
  • Constipação
  • Sedação
  • Sudorese
  • Hipotensão ortostática
  • Boca seca
(Goldsobel et al., 1986; Greenberger, 2014; Özkaya et al., 2019)

Estudo e resultados da urticária na pele tratada com doxepina

Redução do número de lesões e desconforto com os sintomas da urticária na pele tratada com doxepina

Estudo com 16 indivíduos, sendo 14 mulheres e 2 homens com idade de 22 a 72 anos. Entretanto, foi estipulado um período mínimo de urticária tópica de 3 meses, pois anteriormente, os pacientes já haviam feito uso de outros agentes terapêuticos inclusive outros anti-histamínicos. Todavia os pacientes fizeram uso de 25 mg de doxepina ou placebo por 4 semanas.

Resultados

  • Por consequência, após o uso da doxepina significativamente foi reduzido o número de lesões e sintomas (51%) comparado ao grupo placebo nos casos de urticária
  • Com efeito, houve 43% de redução no aparecimento de lesões na pele (% de tempo com lesões)
  • Em suma, houve uma diminuição de 64% no grau de desconforto e coceira nos indivíduos avaliados
  • Como resultado também promoveu redução de 75% de inchaço/angioedema.

Graf. 1 Melhora de sintomas da urticária comparando uso de placebo e doxepina

urticária


Você precisa estar logado para ver este conteúdo.
Após análise do cadastro, a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.
Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente, aos profissionais habilitados a prescrever.

Referências

Na escrita do post acessamos algumas referências de literaturas que se encontram neste link Referências post.

Gostou desse artigo? Compartilhe nas suas redes sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp